Voltar à página principal
 

A Farmácia de Vila da Ponte

 


A Vila da Ponte é uma freguesia do Concelho de Sernancelhe distrito de Viseu. Possui características próprias que, na parte referente à sua paisagem, a Barragem do Távora destruiu, roubando-lhe, assim, de certo modo, o título de Pérola do Távora.
É minha convicção de que o século XXI a fará despontar para vôos mais altos, a caminho da justiça que, por direito próprio, lhe pertence.
Provavelmente, o seu maior trunfo dever-se-há a encontrar-se localizada num eixo rodoviário muito central e ser, pela sua própria localização, elo de ligação entre a sede do concelho e cerca de 10 das dezassete freguesias que ao mesmo pertencem.
Julgamos que, a esse facto, se deve ter tido, ao longo da sua existência, médicos residentes, tradição hoje continuada na pessoa do médico Snr. Dr. António José Leitão Canotilho.
Pensamos que à mesma circunstância se deveu a abertura da Farmácia Mota, fundada pelo farmacêutico Snr. Acácio Aníbal de Almeida Mota no dia em que este completava 21 anos. Este farmacêutico viria a falecer a 7 de Dezembro de 1962.
Após a sua morte veio a suceder-lhe - na propriedade - o seu sobrinho e Técnico de Farmácia Snr Ulisses António Carneiro e a farmácia continuou, durante cerca de 30 anos, servindo as populações sobre a direcção técnica de várias farmacêuticas, sendo de salientar a direcção da Farmacêutica Sra Dra. Dª Elisa da Glória Sobral Dias Leitão, descendente de uma das mais ilustres famílias que aqui residiram e viveram.
Emporta, sobretudo, salientar que durante um século (periodo decorrente de 12 de setembro de 1899 a 12 de setembro de 1999), particularmente nos tempos de maior pobreza, esta farmácia, na parte medicamentosa, prestou altos serviços de saúde pública a populações altamente carenciadas, muitas vezes sem possibilidades económicas que lhes permitissem pagar.
Esta é a realidade a evidenciar e nunca compreendida nem reconhecida pelas entidades públicas, em especial as ligadas ao sector da saúde.
Julgamos não constituir imodéstia relembrar os velhos tempos da farmácia de oficina em que se preparavam nesta, mediante fórmulas prescritas pelos médicos, a grande maioria da medicação necessária ao tratamento dos doentes. Isto antes do advento explosivo das chamadas especialidades farmacêuticas.
Claro que esta actividade profissional, vivida ao longo de dezenas de anos, exigia do farmacêutico um esforço permanente na actualização das diversas substâncias e preparações adequadas ao receituário médico prescrito.
Era uma actividade muito bonita, muito exigente e, às vezes, muito cansativa que este apontamento não permite descrever em pormenor.
A Farmácia Mota, a que nos vimos referindo, constituindo um marco histórico é bem um símbolo da Vila da Ponte, pelos altos serviços prestados aos doentes e pela sua longevidade.
Acreditamos que ela continuará, após a comemoração do seu centenário, o seu longo caminho, agora sob uma nova propriedade e nova Direcção Técnica.
Auguramos e desejamos que a sua existência se prolongue por mais um século obedecendo ao mesmo espírito que norteou a sua acção: serviço, solidariedade, humanidade.

Texto redigido por: Ulisses António Carneiro

 

 


 

Nota do editor deste link

Por sorte a nova Directora Técnica e proprietária da farmácia, Drª Cristina Inocêncio veio a oferecer a continuidade de qualidade de prestação de serviços farmacêuticos, mas com uma empatia tão notável, que embora exerça as suas funções profissionais aínda há bem poucos anos na Vila da Ponte, já se tornou uma personagem muito querida na aldeia e nos utentes que serve, não só no concelho de Sernancelhe, com nos periféricos.

Voltar à página principal